Informação

Chama-se inês com i pequeno e um dia vai ser bailarina de caixa de música ou cinderella profissional. Não gosta de palhaços e tem pavor a machucares de coração. Gosta de decalcar sentimentos e remexer em entranhas. Quando fica nervosa morde o lábio inferior ou finge tocar piano nas pernas. Tem o coração pequeno e os olhos grandes, tem os olhos muito grandes.

Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Abril 2013 Julho 2013 Abril 2014



arquivos

links

formspring youtube feridas no joelho da maria, com amor dancemearoundtenderly@hotmail.com






10 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 23 de novembro de 2009
Já  te queria dirigir estas palavras faz algum tempo, e acredito que as irás ler. Não as tens de comentar. Não as tens de ler todas. Nem sequer tens de gostar ou entender. Não são para mostrar como sou fantástica e super altruísta. São para te explicar o que não consigo dizer com a naturalidade do costume.
Custa-me ouvir as coisas que eles te dizem. Tudo o que insistem em atirar-te à cara. Porque é triste saber que são teus amigos e mesmo assim não te conseguem compreender. Não te preocupes, eles não sabem do que falam. Não que eu o saiba melhor, não consigo compreender não, mas não tento. Aceito. Não conheço a história por detrás de cada cicatriz invisivel que te cobre o corpo. Cicatrizes de quem tentou, e simplesmente não conseguiu. Que agora apenas responde com a mesma indiferença com que foi recebido. Lutaste. Não és tão cobarde quanto dizes ser. Aliás, não és cobarde de todo. Desistir por vezes parece mesmo tentador, mas tu não o fazes, não senhora. Não desististe de tudo, como eles dizem. Não desististe de ti. E por entre conversas retardadas cheias de smiles e humor forçado para aligeirar o ambiente, nunca me deixaste desistir também. E tu sabes que eu sou uma anti-social de merda com um escasso número de amigos, mas tu certamente és um deles. Obrigada.

Vá, agora noc pa isto tudo que já está demasiado sério e nós somos pessoas burras 8-)