Informação

Chama-se inês com i pequeno e um dia vai ser bailarina de caixa de música ou cinderella profissional. Não gosta de palhaços e tem pavor a machucares de coração. Gosta de decalcar sentimentos e remexer em entranhas. Quando fica nervosa morde o lábio inferior ou finge tocar piano nas pernas. Tem o coração pequeno e os olhos grandes, tem os olhos muito grandes.

Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Abril 2013 Julho 2013 Abril 2014



arquivos

links

formspring youtube feridas no joelho da maria, com amor dancemearoundtenderly@hotmail.com






16 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 28 de fevereiro de 2010
Vida. Dança. Amigos. Musica. Sorrisos. Abraços. Palavras. Silêncio. Chuva. Sons. Ruídos. Zumbidos. Tilintares. Tumulto. Respirar. Agitação. Ondas. Calma. Assopros. Livros. Encadernações. Cores. Luz. Tonalidades. Matizes. Dança Contemporânea. Moderna. Clássica. De salão. De apresentação. Palcos. Salões. Pessoas. Proximidade. Sedução. Sensualidade. Bom gosto. Classe. Movimento. Palpitar. Batimentos. Toque. Arrepios. Fingimento. Pulsação. Poças de água. Eufemismos. Vento. Deslizares. Gestos. Caras. Rugas de expressão. Mãos. Ferrugem. Preto e branco. Utopias.


33 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 27 de fevereiro de 2010
Há personalidades que fascinam, jeitos que envolvem. São como cetim que ao passar de leve na pele causa cócegas e sorrisos. Há olhares que emanam felicidade e bocas que a calam. Movimentos. Há uns firmes e tensos, e outros que são como passos em nuvens de algodão. Há sorrisos. Há-os de várias formas e feitios, mixórdias de cruzares de braços e bateres de pé.
cheiros, medidas, proporções. Há cores e padrões. Há o amor, às risquinhas verdes e amarelas.
erros, daqueles deliciosos erros. Desafiantes do certo e comprovado. Há-os assim, destemidos e presunçosos. Há um mundo de sensações, espíritos errantes. Há escorregas circulares nos quais nos deixamos envolver. Abraços que desejamos que não acabem.Carícias que deixamos pendentes. Há pessoas assim, uma mistura de sabores.


17 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010
- Vou-me embora.
- Está bem.
- Vais ficar aí?
- Sim, estou à espera.
- De quem?
- De ti.
- Não devias primeiro esperar que eu partisse?
- E tu partiste, há muito tempo, tu partiste.


10 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010
Fazes-me bem, sabes porquê? Não consomes a minha existência. Nunca nos fundiremos num só. Nunca seríamos capazes de tamanha proeza, com a corda de discordâncias que nos separa. Mas e depois? Até agora nada me comprovou que essa teoria do "somos como um só" resultasse. Tu és a outra peça. Mas não encaixas. Nem vais encaixar. Porque me moldas a cada dia que passa.


8 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010
"... It's like forgetting the words to your favorite song
You can't believe it
You were always singing along
It was so easy and the words so sweet
You can't remember
You try to move your feet ..."


18 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 23 de fevereiro de 2010
A rapariginha estava estranhamente sentada, de pernas cruzadas numa posição improvável. Ajeitava o seu corpo franzino às falhas do banco de jardim. Observava os transeuntes passar, de olhos rasos ao chão e sorriso esmorecido. Fitava as gravuras de nomes cravadas no banco. Juras de amor pejorativas que o tempo irá destituir.
Um homem que lá passava reparou na menina e aproximou-se:
- Estás perdida?
- Estou. O meu eu fugiu de mim, veja-me lá bem!
- Perdão?
- Perdi-me de mim mesma.
- Mas que disparate é que está a dizer? a menina está aqui, inteira. Não se perdeu coisa nenhuma. Ninguém se perde a si mesmo, ora!
- Se o senhor acha isso, é porque também se perdeu, sem sequer dar conta. Mas não se preocupe, não é caso para alarme. Sente-se aqui ao pé de mim, que já cá estou há algum tempo, havemos de estar por aí a aparecer, vai ver..

[desenho feito pelo Sam]

19 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 21 de fevereiro de 2010
De súbito o amor esmorece, permanece apenas a insegurança. Instala-se o medo. A cada movimento, a constante rejeição.
Trocam-se olhares. Ferem-se almas. Gritam os alter-egos suprimidos, palavras enclausuradas na prisão do silêncio.
Trocam-se murmurares. Uma compacta calma paira no ar durante leves segundos.
Trocam-se sorrisos de falsa quietude, decrépitas mentiras gesticuladas. Emerge a raiva. Puro ódio ao cenário e acção visualizada.
Trocam-se medos. Expõem-se fraquezas. Gritam-se palavras de amor.
O que o orgulho te faz, o que o orgulho te faz...

10 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 20 de fevereiro de 2010
As regras deste desafio são:

- Indicar o selinho para cinco blogs cujos posts você considere mais interessantes e cheios de significados, não levando em conta o layout ou a organização de widgets do blog.
Retribuo à annie e ao luís, e mando a 5 pessoas a quem não mandei da outra vez:
- my own
- restos de mim (e de ti)
- folhas de amor ♥
- Forgotten Silence
- Enjoy the Silence (Não resisti a mandar de novo!)
2. Responder a essa pergunta: "Você acha que a beleza está nos olhos de quem vê ou isso é só desculpa de gente feia?"
Acredito que a beleza dos outros está dentro de nós. há pessoas que causam um efeito visual maior que outras, mas a luz, o brilho e a cor somos nós que lhes atribuímos. São como um desenho delimitado por linhas, que preenchemos conforme o que aquelas pessoas nos transmitem. Somos todos telas por pintar, seremos sempre, aos nossos olhos. Aos olhos dos outros, somos preenchidos de matizes coloridas.
3- Linkar quem te indicou o selinho
annieeee *-*
ti em mim
4. Avisar quem você indicou e comentar no Messy Lines.

14 Cubos de gelo
Comenta



Dizes-te domado por impulsos.
Eu digo que no teu caso impulso é eufemismo para cobardia, amor.

22 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010
"O seu forte rosto é rodeado por o cabelo liso e negro, como se de uma moldura se tratasse. Não sorria. Não sorriu uma única vez naquele dia. A verdade é que não precisava. Emanava luz e alegria, no seu jeito estranho. A sua simpatia estava doseada, mediocramente doseada, mas resultava na perfeição. Era impossível conhecê-la e não nutrir por ela um carinho imediato. Talvez fosse a sua indiferença e o seu desdém o que atraía os comuns mortais, como um íman infalível. Ou talvez fosse a sua peculiar beleza, que intrigava tanto quanto fascinava. A mim, cativava-me o facto de ser como o meu reflexo espelhado."
Era uma folha que estava por aqui perdida.

25 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010
A menina aproximou-se, tropeçando nos próprios atacadores.
- Olha.. eu queria perguntar-te uma coisa $:
- Pergunta !
- Queres ser meu?
- Acho que não tem mal... Está bem, sou teu. E tu és minha, também?
- Sim. Mas olha, vem cá, para ver se cabes dentro do meu bolso...
- Dentro do teu bolso?!
- Sim, agora que és meu tenho de te ter bem guardadinho, não posso permitir que nada de mal te aconteça.
- Também és minha, isso significa que também tens de andar no meu bolso?
- Pois, não é uma boa ideia, pois não?
- Acho que não.. Olha, fazemos assim: tu cuidas de mim e eu cuido de ti. És minha, mas não deixas de ser tua.
- E tu és meu e teu. Parece-me bem.

19 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010
- O que te cativa numa pessoa, Inês?
- Os seus jeitos. Rejubilo-me com pormenores. O mais ínfimo gesto ou expressão, o movimento mais inútil delicia-me. Até a forma como calcam o chão em passos certos torna algumas pessoas em seres extraordinariamente fascinantes e únicos, sabes? são aquelas que me apetece ficar a observar por horas, até conseguir reproduzir na perfeição todos os seus jeitos.
- Mas acho que isso já é a forma como as pintas. Os gestos são comuns, iguais aos de tantos outros, tornam-se é especiais aos teus olhos.
- Pois, isso já são jeitos meus...


5 Cubos de gelo
Comenta




Muahahah, passado cerca de dois milhões de anos, a Inês recebe mais um selo! E este é fofi. Segundo a Nikkie, o blog da Inês é 5 estrelas, com uma coroa em cima e tudo. *.* Temos de dizer 5 músicas, penso. Vou apenas mencionar 5 que me remetem para outro sitio, ou outra altura. 
Pear Jam - Come Back
The Fray - You found me
Nirvana - Heart Shaped Box / Love Buzz
The Last Shadow Puppets - My mistakes were made for you
John Mayer - Gravity
Amy Winehouse - Love is a losing game
Joan Jett - Bad Reputation
Foo Fighters - Everlong
Lifehouse - Everything
Começo agora a reparar que não houve um único selo em que eu nao tenha feito batota. de 5 passou para 10. Mas vocês não se importam, pois não? Era também o que faltava, importarem-se. Assim sendo retribuo à Nik, e coise outros 5:
Color Dream
- é o meu coração a falar, sabes?
- Doce orgulho
- Mind vs hearts
- Poetry in Motion
- Lugar mangenta
Como podem constatar de novo não, não sei contar. Mas podia continuar aqui o dia inteiro, tenho é preguiça de coise os links, etc (a) mas há outros blogs que gosto igualmente. (o da teresa, por exemplo. e da filipa. e da PR. E da Gabriela.) e muitos mais. Por isso passo este selo a todos os outros blogues que sigo. E quem não aceitar é um/a menino/a feio/a.

17 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 16 de fevereiro de 2010
O comboio tinha chegado finalmente, com destino algures para lá do mundo que eles criaram.
Ele estava agora a afastar-se. Na verdade, ela sentia-o a afastar-se desde a última vez em que ele voltara e prometera não partir de novo. Era nos seus olhos que já não criavam labaredas de fogo em seu redor, no seu toque que já não petrificava a pele dela, que percebia que ele se ia esvanecendo. E isso corroía-a mais do que achava ser possível.Não percebia como tudo se havia reduzido a tão pouco, num final tão indiferente. Sem gritos nem choros. Sem revoltas nem palavras feias. Sem sentimento envolvido. Preenchido de mágoa, silêncios que ferem, culpa que pesa. A voz avisou que o comboio iria partir dentro de segundos, e ela decidiu virar costas, numa tentativa de ignorar a realidade, talvez...
Começou a desenrolar a folha que ele lhe havia colocado docemente no bolso do casaco, pensando que ela não se apercebiria. Começou a abrir freneticamente o papel amarrotado lilás ao mesmo tempo que o comboio cravava os carris e avançava. O papel continha uma mensagem curta em letra desenhada:

«la beauté des choses est le fait d'entre eux viennent à sa fin. et ce qui nous unissait était certainement beau, mon amour.»  "
"A beleza das coisas reside no facto de chegarem ao fim. O que tínhamos era certamente belo, meu amor."

18 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010
"Para a Inês, para que este poema lhe seja lido todas as noites antes de adormecer, e que habite nela, mesmo enquanto sonha. "                                        Porto, 12 de Outubro de 1998.

Dizia papá
Dizia mamã
Era pequenina
Mas não era anã.

Abria os olhos
Abria a boca
Ria às gargalhadas
Mas não era louca.

Vestia a preceito
Calçava com gosto
Movia com jeito
O seu lindo rosto.

Mantém-se até hoje
Sem rugas na cara
O tempo que foge
Só p'ra ela pára.

Andava segura
Os passos bem certos
Olhar de ternura
Olhos bem abertos.

As horas da vida
Passam a correr
Boneca querida
Não queiras crescer.

Agora só dormes
Ninguém te acorda
Não ris e não comes
Boneca de corda.

Foi tudo a fugir
Os dias, as horas.
Foi tudo a fingir?
Então porque choras...?

16 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 14 de fevereiro de 2010


When love is not madness, it is not love.
And God only knows what I'd be without you :)

33 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010
- Achas que tu e eu somos iguais?
- Não.
- Seremos equivalentes, ao menos?
- Não creio. Mas vejo que isso te amargura.
- Um pouco. Não temos semelhanças, gostos comuns. O que é que partilhamos que nos liga desta forma, então?
- É a mítica linha entre o amor e o ódio. Tão ténue quanto a linha que separa o tu e eu. No meio dessa linha, está o nós. Aí somos um, e não um aparte. Não sou eu que te fascino, nés. O que te fascina é aquilo em que tornas quando deixamos de ser dois. Não me és semelhante, és o meu inverso.
- E tu, o meu querido oposto.

8 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010
Ela caminhou, por entre balas e ódio. Andar firme, olhos fixos nos poucos feixes de luz branca. Tentei dissimulá-la, com palavras doces e promessas de paz. Pedi-lhe que parasse, virasse costas e fosse comigo para fora dali. Ela continuou a caminhar. Implorei-lhe que desistisse, ela nem um único glance na minha direcção dirigiu. continuou, surda de ódio, cega de amor. Até que desapareceu na linha do horizonte.
E agora aqui estou, a contar essas palavras nisto que é o funeral da sua alma.


17 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 9 de fevereiro de 2010
- Porque é que o fazes?
- Quando danças tudo ganha outra dimensão. Arrancas tudo o que possuis dentro de ti, esvazias-te por completo e atiras todos esses bocados para o chão. Sabes que não vais recuperá-los, e nem te importas com isso. A bem dizer, não te pertencem. Pertencem a todo aquele mundo.Primeiro é assim. Daí para a frente andas vazia, e só te consegues encontrar a ti mesma ali. Torna-se uma necessidade incontrolável. Porque na verdade, vais ter contigo. Há quem ainda se procure, eu sei exactamente onde me encontrar. É ali.
- Parece-me injusto. Deixares tudo, viveres vazia o resto do tempo.
- Na verdade, nunca tinha estado tão completa.
Mas chiu, não digas a ninguém..



9 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010
"In surgery, the healing process begins with a cut, an incision, the tearing of flesh. We have to damage the healthy flesh in order to expose the unhealthy. It feels cruel and against common sense, but it works. You risk exposure for the sake of healing, and when it's over, once the incision has been closed, you wait. You wait and hope that your patient will heal. That you haven't in fact, just made everything worse."
 
Meredith Grey
in Grey's Anatomy.

36 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 7 de fevereiro de 2010
-Complicámos.
-Simplificaremos agora, então.
-É possível?
-Claro que sim. Se continuarmos a dificultar há-de ficar tão complicado que se resumerá a pó, a nada. Simples, não?


23 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 6 de fevereiro de 2010
Se gosto de gostar? Gosto. Quando não dói, quando não queima nem arde, sabe bem. Faz-nos sorrir só porque sim.Faz bochechas corar e sensações emergir. Deixa-nos sem jeito, rouba-nos as palavras que antes conseguíamos usar com alguma eloquência. Faz de nós bôbos felizes. Arranca sonhos, porque já não são mais precisos. The reality is finally better than what we dreamt. Sabe bem, mas não o conseguimos compreender. Como gelado de cereja.
Se gosto de gostar? Gosto pois.

15 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010
«o que eu querro é o teu amôrre.»
 Amor é amorre.
 «Estou a morrer de amorre», dizia enquanto beberricava o chá e e repetia de cor todas as tonalidades dos meus olhos.

15 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 2 de fevereiro de 2010
Anyone who says sunshine brings happiness has never danced in the rain.


9 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010
The tears come streaming down your face
When you lose something you can't replace
When you love someone but it goes to waste
Could it be worse?
Hoje isto é o máximo que arrancam de mim.