Informação

Chama-se inês com i pequeno e um dia vai ser bailarina de caixa de música ou cinderella profissional. Não gosta de palhaços e tem pavor a machucares de coração. Gosta de decalcar sentimentos e remexer em entranhas. Quando fica nervosa morde o lábio inferior ou finge tocar piano nas pernas. Tem o coração pequeno e os olhos grandes, tem os olhos muito grandes.

Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Abril 2013 Julho 2013 Abril 2014



arquivos

links

formspring youtube feridas no joelho da maria, com amor dancemearoundtenderly@hotmail.com






31 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 31 de março de 2010
 As ondas embatem nos nossos corpos, fazendo-se ouvir. A brisa ligeira que nos cobria desmantelou-se. Solto uma gargalhada seca e olhas-me de raspão. Cravas as tuas mãos no meu corpo e puxas-me para ti. «a proximidade é tudo, mon chéri. A distância que nos separa iguala a distância a que nos encontramos da perfeição.» Mas a perfeição, essa, tu abominavas. Eras apologista de fasquias e reparações. A perfeição significaria o fracasso. Estagnávamos. A evolução quebrava.
«une, deux, trois»
Tínhamos entrado no compasso perfeito. Deixava-te conduzir, para teu deleite. Havias-me implorado durante meses que o fizesse. Agora movimentavas-me em gestos leves, acompanhando o balanço das águas. Sempre admirei essa tua perspicácia. Sabias o que desafiar. Sabias o que querer.
Ninguém te sabe como eu te sei.
(este texto levou uns cortes valentes e perdeu um bocadinho o sentido)

27 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 30 de março de 2010
eu sei bem que tu és daqueles que faz-o-que-lhe-apetece-quando-bem-lhe-apetece e o que tudo o que dizes hoje pode ser negado amanhã.
Tenho vindo a engraçar com essa inconstância.

13 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 29 de março de 2010
«- Conheces a história da bailarina e do rapaz?
- Não.
- Nem eu. Queres que a invente e te a conte?»
          E assim se passavam as tardes de Verão. Com diálogos irrisórios e histórias inventadas à pressa. Dizias tu que a forma como as escutava era deliciosa. E aí roubavas-me um sorriso. Delicioso, era a tua palavra favorita. Tu eras a minha.

24 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 27 de março de 2010
Não fui feita para isto. Sou um cubo com arestas que sempre soubeste limar tão bem. Mas não dá. Palavras fazem-me tombar. Eu parto. De imediato. Uma palavra, duas, três, pum. Baqueei. Afliges-te. Queres-te mexer. Ahah, deixa. Acções nunca foram o teu forte. Observas-me a definhar, impávido. É-te extenuante. Eu sufoco, perdendo-me entre reminiscências antigas. Estaco a observar o vazio, com a frustração a corroer-me os poros. Extinguiste-te. Não te vejo mais, não te tenho. Não? Não. Não te sou. O quê? Nada.
Não te sou nada.

8 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 26 de março de 2010
Trust.
Once broken, takes forever to build it all over again.
and alone, I can't.


5 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 25 de março de 2010
«-Estás a chorar porquê?
-Porque sim. Sabes que eu choro porque sim.
- Não, desta vez não. Tu estás a chorar porque eu te aleijei
O uso daquela expressão enterneceu-me. Sabias como a utilizava quando me atrapalhava e as palavras escorriam por entre os dedos. Quando queria explicar quanto mal me tinhas feito mas magoar parecia uma palavra inapropriada. Então afirmava que me tinhas aleijado muito, para tentar esconder bocadinhos de dor que eram visíveis aos teus olhos, palpáveis ao teu ser. Não quero que me vejas fragilizada. Não quero que vejas como tilinto à tua passagem e como com um simples toques conseguirias habilmente partir os ossos do meu corpo. Tu não me conheces medo porque eu não te mostro medo. E se eu te dissesse que estou completamente aterrorizada neste momento? Dirias que não fazia mal e abraçavas-me para que o medo se dissipasse entre o som da tua voz e o eco dos teus movimentos?
Um dia, dir-te-ei.  Sussurrar-te ao ouvido o quando me magoaste com todos os teus actos desprovidos de objectivo, como a tua indiferença me feriu.
O quanto me aleijaste.
Estou consciente de que isto não prestou, sim

7 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 24 de março de 2010
 Um dia apago o Sol, só para ver os teus olhos brilharem.
Juro que o faço.

10 Cubos de gelo
Comenta



Esta mulher é absolutamente  linda
                                                                Ou é só impressão minha?

9 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 23 de março de 2010
- Não te entendo. Juro que não te entendo. És a única pessoa capaz de ver algo bom nela.
- Ela é um eu adulterado. Transforma todo o seu medo em força fingida. Parece forte, com o rabo de cavalo e o jeito rebelde, mas não passa de uma menina assustada. É selvagem. De natureza felina. Bate, arranha, estrafega. No entanto não é fria. Gosta de fingir que o é, cobrindo o seu pobre coração com cubos de gelo. Com medo de perder o que vai conquistando a custo.Grita por afecto. Em decibéis mudos.


5 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 22 de março de 2010
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.
´
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?
Luís de Camões.


















E sim, tenho perfeita noção de que meti um poema de Camões e uma foto do Fernando Pessoa. Mas apeteceu-me, que querem que vos faça? O homem tem a sua graça.

16 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 21 de março de 2010
A minha fragilidade disfarçada evidencia-se nestes momentos. Só preciso que entendas, sem indagar. Que não tremas comigo. Preciso que tenhas com as palavras que me diriges o mesmo cuidado que tens com o meu ser. Preciso que as selecciones e envolvas em veludo, e só assim me as cedas, de sorriso nos lábios. Penso não estar a ser impertinente. não, não é pedir demasiado. As palavras pertecem-te. Curvam-se perante a tua presença, moldam-se consoante a tua vontade. Só te peço que me atires com as que roçam ao de leve na pele e causam comichão. As que não dilaceram nem rasgam. Daquelas enternecedoras, abarrotando de amores escondidos, sorrisos simplificados e cores do arco-íris.
ps: eu sei que me queres bem. e que gostas muito de mim.

11 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 20 de março de 2010
«Someone's being trying to tell me something. Make her yours forever
If you could hear me, I would say that our finger prints don't fade from the lives we've touched.

14 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 19 de março de 2010
Dispo o nu do meu carácter e derreto. Nas tuas mãos. Naquelas tuas manápulas sujas da minha essência, carvão que borra. Pegas-me com a leveza de movimentos bruscos. E eu deixo-me ficar, com medo de me mexer. Medo que desapareças, tal e qual como a brisa ligeira que te cobre. As unhas dilaceram a carne. estás aqui. corpo e alma a teus pés. pragmatismos indefinidos. amores envoltos em celofane de paixão. Rodopios e vozes condensadas. eco de minha voz. paradoxo do meu ser. 
Não, não te acredito.



9 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 18 de março de 2010
«I have no desire to prove anything by dancing. I have never used it as an outlet or a means of expressing myself. I just dance. I just put my feet in the air and move them around.»
Fred Astaire.

12 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 17 de março de 2010
«(...) para estarmos juntos.»
Estar. eu e tu. juntos. nós. um com o outro. estando. eu contigo, tu comigo, a estarmos. só estar. e o estar está relacionado com o ser. então nós estamos. e enquanto estamos vamos sendo. e sendo, somos um. e sendo um, somos um aparte. não sendo de todo o mesmo. mixórdias de ambos. uma. de dois. diferentes. e vamos estando. assim, juntos. ficando. assim, perto. amando. assim, intensamente.
gostei dessa frase, caramba.

10 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 16 de março de 2010
(...) Sugo-lhes toda a sua energia até ficarem tão vazios quanto eu estou. Quero ver-te neles.  Mas eu até sei exactamente onde tu te escondes, sei pois. Aposto que estás dentro daquele que é quase como tu. Eu bem vejo os teus olhos quando ele olha para mim. E agora perguntas tu: "se sabes que lá estou, porque não me vens buscar?" porque ele é mau, amor. Ele é mau e eu tenho muito medo dele. A minha língua até se contorce quando digo o seu nome, o meu corpo até treme cada vez que ele se aproxima. E mais do que medo dele, tenho medo de não te encontrar lá. Ver que tu, que engraçavas tanto com os meus jeitos, desapareceste para nunca mais voltar. se eu olhar muito para ele, talvez te veja a ti, com aquele sorriso meigo sempre pronto em minha direcção. Se encostar a minha cabeça ao seu peito, talvez te oiça lá dentro, com o teu coraçãozinho ainda a bater por mim. Se o abraçar, pode ser que me sussurres ao ouvido, para saber que ainda aí estás
Achas que ele deixa...?
Inês, 19 de Outubro de 2009.



6 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 15 de março de 2010
És emocionalmente inteligente com um pouco de je ne sais quoi à mistura. Aquele que a nós nos falta e que transborda em ti, que te escorre por entre os dedos abertos. É esse jeito leve, bolas. Deslocas-te ao sabor do vento, com nuvens de algodão debaixo dos pés e berlindes no lugar dos olhos. desprecupação envolta em papel de alumínio, com matizes estranhas. simplicidade enternecedora.


17 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 14 de março de 2010
« esta será a polaroid das nossas vidas. »

11 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 13 de março de 2010
Feliz assim por teres tudo o que sou?
Feliz por perderes tudo o que sei?

Só não te dou o que não serei.
Não, a minha morte, não ta dou.
Pedro Tamen



4 Cubos de gelo
Comenta



I just really really don't like you.
Ai se a ingenuidade matasse. Que me tinhas já tu feito.

21 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 12 de março de 2010
Ele quere-a.
Tu tem-la.
Ele mereçe-a.
Tu não.


8 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 11 de março de 2010
"I can’t say ‘I love you’ and everywhere I look that word is just flying out of people’s mouth. I’m so fucked up. I am never going to be happy. It’s just not happening to me.
I always thought that when the right guy came along all of my bullshit would calm down and go away and the words would just fall out of my mouth because I knew he was the one. And here he is. The perfect guy. And I can’t say it. I’m so fucked up."
Miranda in Sex and the City.


9 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 10 de março de 2010
"O meu amor por ti apoucava-se, a vontade de te ter por perto esvanecia. Aí, voltavas em força. Desprender-me não era uma opção. Deixar-me correr livremente por novos caminhos sem o teu nome escrito em cada flor ou teu sorriso reflectido em cada objecto era-te completamente impossível. Não me deixarias ir assim, era um dos teus objectos preferidos. Dava-te jeito ter-me por perto, ainda a perder-me na cor indefinida dos teus olhos, dava-te jeito sentir o meu amor não recíproco à flor da pele. Gostavas dos arrepios que o jogo te proporcionava. Tinhas-me entranhada em ti, era tua como tu nunca chegaste a ser meu."
Peço desculpa a quem já leu isto no outro blog, mas quis pôr aqui também.

14 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 9 de março de 2010
Reinventas-te em cada movimento, cada palavra ou expressão. E cativas-me de novo de cada vez que o fazes. É como se vivesses para me surpreender e deliciar a cada dia que passa. É aquele jeito que tens comigo, sabes? Como se me protegesses dentro de uma bolha de sabão que não deixas que ninguém rebente. Como eu gosto que gostes de mim. E como eu me perco a falar de ti. Como as palavras fogem, como o jeito se perde por entre sorrisos e letras mal desenhadas.
Como eu tchi amô.


14 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 8 de março de 2010
Da próxima vez eu me mando.
Que se dane meu jeito inseguro.


15 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 7 de março de 2010
- Mostra-me.
- Tu não vais gostar.
- Sabes lá tu do que eu gosto ou deixo de gostar.
- Ai não? Sei que adoras o movimento ensaiado, com alguns erros previamente esquematizados. Tens gosto ao engano. Gostas de gentes, principalmente das que constituem algum tipo de desafio mental para ti. Como criança curiosa com um brinquedo na mão, tu abre-las para verificar do que são constituidas. Peça por peça encontras o encaixe perfeito. Mexes e remexes, misturas e adicionas, mas fâ-lo sempre com o cuidado devido. É disso que tu gostas. Destituís emoções, numa tentativa de lhes retirar o aroma. Tudo o que não consegues alcançar cria em ti um profundo desespero. Gostas de bocadinhos, bocadinhos pequeninos.
- Como os bocadinhos de que és feito.


28 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 6 de março de 2010
- óh estupido.
- que foi?
- penso que o meu órgão central da circulação, localizado na caixa torácica, levemente inclinado para esquerda e para baixo engraçou contigo. E agora?
- agora suponho que tenha de o guardar e nunca o deixar escapar, não é? só me arranjas sarilhos, tu.



15 Cubos de gelo
Comenta



1. Nome: Inês.
2. Idade: 14
3. Aniversário: 30 de Janeiro (se não decorarem vou-me chatear.)
4. Olhos: Castanhos. bah.
5. Cabelo: Preto!
6. Altura: 1.68
7. Irmão: Apenas um bicho.
8. Apelido: É feio, não digo.
9. Signo: Aquário
10. E-mail:Acho que tá no coise do perfil. Mexam os dedinhos, vá
11. Animal: Uma paixão assolapada por Koalas

Favoritos:
12. Uma frase: Gravity keeps working against me.
13. Pessoas: Estranhas, de preferência. Cativantes.
14. Uma cantora: Björk e PJ Harvey
15. Uma roupa: whatever
16. Um sentimento: Felicidade disfarçada.
17. Um animal: A Maggie, que fugiu, mas pronto.
18. Um gesto: Amo-os a todos.
19. Um lugar: Estúdio
20. Um objecto: Computador.
21. Um veneno: Vingança.
22. Uma arma: Um sorriso.
23. Um programa: SYTYCD
24. Um horário: Um que seja indefinido.
25. Um verbo: dançar.
26. Ídolo: Dave Ghrol
27. Um dia: 22 de Março
28. Um barulho: Chuva
29. Um actor: Morgan Freeman
30. Um calçado:descalça.
31. Um número: 12
32. Uma bebida: Ice Tea
33. Uma comida: Arroz de Pato
34. Um doce: Gomas (a'
35. Uma mobília: wtf? A minha estante.
36. Uma letra: R
37. Um meio de comunicação: Gestos, movimento.
38. Um nome: Emily
39. Uma pergunta: Respostas.
(..)
48. Uma cidade: Londres.
49. Uma disciplina: Português.
50. Uma série: Dexter e Friends
51. Uma novela: Não vejo disso.
52. Uma música: Jason Mraz-If it kills me
53. Um sonho: Não revelo.
54. Um filme: Orphan
55. Um poema: Florbela Espanca-Ódio por ele

Escolha:
56. Dia/Noite: Noite.
57. Cego/Surdo: Cego.
58. Amor/Paixão: A paixão escalda e o amor aquece. Está 50/50
59. Pôr/Nascer do Sol: Pôr do Sol
60. Verão/Inverno: Verão!
61. Verdade/Desafio: Verdade
62. Piscina/Oceano: Oceano sozinha, piscina com os amigos.
(..)
72. Preto/Branco: Branco.
73. Velho/Novo: Depende.
74. Café/Chá: Chá.

Aproveito para pedir desculpas por não andar a ver o que vocês escrevem nem a escrever nada de jeito. Isso muda hoje, prometooo


11 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 4 de março de 2010
Fazem-me bem.
'I'll be there for you when the rain starts to pour
I'll be there for you like I've been there before
I'll be there for you 'cause you're there for me too.'

8 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 3 de março de 2010
"Apercebo-me de todas as incontáveis manisfestações que o espírito racional inventa para erguer uma muralha de horror diante da percepção pura e perfeita de que não há muralha alguma nem horror algum, somente a natureza genuína e absolutamente vazia da Perpétua Eternidade, irradiando uma Luz Leitosa, Transcendental, Fátua, Que Apetece Beijar."

Jack Kerouac, Tristessa.

15 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 2 de março de 2010
É necessário suprimir egos, calar bocas e evitar dissabores. Por vezes é preciso arrancar desdém e substituí-lo de novo por amor. Às vezes, às vezes é preciso atirar o orgulho para trás das costas e dizer
Me desculpa. Eu não queria magoar você.
E dizê-lo assim, em brasileiro, porque tem mais piada. Ou noutra língua qualquer. A língua do coração, por exemplo, parece ouvi-las e entendê-las mesmo antes de proferidas, no silêncio de um olhar.

13 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 1 de março de 2010

Um dia beijo-te a meio de uma frase.