Informação

Chama-se inês com i pequeno e um dia vai ser bailarina de caixa de música ou cinderella profissional. Não gosta de palhaços e tem pavor a machucares de coração. Gosta de decalcar sentimentos e remexer em entranhas. Quando fica nervosa morde o lábio inferior ou finge tocar piano nas pernas. Tem o coração pequeno e os olhos grandes, tem os olhos muito grandes.

Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Abril 2013 Julho 2013 Abril 2014



arquivos

links

formspring youtube feridas no joelho da maria, com amor dancemearoundtenderly@hotmail.com






9 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 31 de dezembro de 2009
2009.
Foi, sem dúvida, um ano muito diferente. A pessoa que costumava ser sofreu drásticas metamorfoses e tornou-se na que sou hoje. Certos defeitos foram-se evidiciando e certas qualidades foram-se desenvolvendo. Tive olhos de ver, que me permitiram redescobrir pessoas que me costumavam ser completamente indiferentes. Perdi os olhos de ver e ceguei muitas vezes para o que era importante. Em 2009 perdi o medo ao silêncio e à solidão, infelizmente, da pior forma possível. Como não podia deixar de referir, em 2009 criei o blog e conheci-vos a todos vocês, bem como uma faceta de mim que ainda não tinha sido explorada. Em 2009 entreguei-me a emoções desconhecidas, cortei o fio que me prendia ao seguro e concreto e descobri. Pessoas, lugares, sentimentos. Mas como é óbvio, em 2009 também muito mal aconteceu. Quando se corta assim o fio há que ter cuidado para ter a certeza de que nunca cairemos violentamente no chão. Mas eu caí, eu caí e demorou a levantar-me. Em 2009 eu fiz muito mal a pessoas de quem gostava. Em 2009 as pessoas de quem gostava fizeram-me muito mal a mim. Em 2009 eu sorri, chorei, tremi, sonhei, ri, dancei, gritei, escrevi, pensei, lutei, falei, cresci.
Em 2009 eu fui feliz, eu fui muito feliz.




15 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 30 de dezembro de 2009
Tenho pena de ter deitado fora as folhas que utilizei na primeira vez que escrevi sobre ti. Eram palavras suaves, simples mas mantendo sempre o seu natural complexo, pensamentos que preciso de cravar com o lápis no papel. Eram a enumeração de todas as qualidades que te conhecia – que não eram nada comparadas com as que te conheço hoje – eram a perfeita descrição da tua aparência, dos teus gestos, do teu ser e do impacto que tudo isso tinha em mim. Essas palavras que eram a minha forma mais completa de pensar, como sempre a escrita o é. Escrevinhava linha após linha, parágrafo atrás de parágrafo, mantendo o mesmo ritmo acelerado com que começara. E continuava, incessantemente, na esperança de que fosse na próxima linha que encontrava a explicação para tudo aquilo. A esperança de que fosse a próxima linha a explicar a actual. Procurava uma simples justificação para o facto de me teres cativado, de modo a fazeres-me escrever sobre ti para que pudesse pensar realmente.
E olha que passadas essas oito páginas ainda foram preciso muitos sorrisos, muitas ocasiões e decerto também muita ausência para decifrar o porquê disso acontecer.
Eu até te diria qual é, mas perderia toda a piada.


8 Cubos de gelo
Comenta



"O gelo é frio e as rosas são vermelhas. Estou apaixonada. E este amor vai decerto arrastar-me para longe. A corrente é demasiado forte, não tenho escolha possível. Pode muito bem levar-me até um sítio especial, a um mundo inteiramente desconhecido. A um lugar povoado de perigos, onde esteja escondida alguma coisa que acabará fatalmente por me ferir. Posso acabar por perder tudo. Mas já não posso voltar para trás. Só posso deixar-me ir com a maré. Mesmo que comece a arder, mesmo que desapareça para sempre."
Haruki Mukarami in Sputnik, meu amor

17 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 29 de dezembro de 2009
On my own
Pretending he's beside me
All alone
I walk with him 'til morning
Without him, I feel his arms around me
And when I lose my way, I close my eyes and he has found me
I love him
But when the night is over
He is gone
The river's just a river
Without him, the world around me changes
The trees are bare and everywhere the streets are full of strangers

I love him...
I love him...
I love him...
But only on my own.
                                             Les Miserables - On my own


29 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 27 de dezembro de 2009
Ela estava, como sempre, divertida a brincar com os dedos dele. Sorria calmamente, imbuída na estranha actividade. Contorceu o seu dedo mindinho de modo a encaixar no dele. Só então parou, distraída por algo que ele não conseguiu perceber o que era.
- Sabes porque é que as pessoas fazem promessas com o dedo mindinho? – Perguntou ela, voltando à sua já tão normal brincadeira.
- Não.
- É uma história muito antiga, que ocorreu na China ou no Japão, não estou certa. Uma princesa estava a escolher um pretendente, por isso pediu a todos eles que adivinhassem qual era o dedo que ela escondia. Só o último acertou, dizendo que era o mindinho. Então ela uniu o seu dedo com o dele e aí fizeram a promessa de nunca mais se separarem. Mas um dia o homem foi para a guerra e não voltou. Passado 10 anos, chegou um mendigo ao palácio que estendeu docemente o mindinho à princesa. Esta percebeu de imediato que se tratava do seu amor perdido. Viveram felizes, mas ao 49º dia ele voltou a ir-se embora, e só aí ela percebeu: Reza a lenda que as almas dos mortos voltam em forma humana por 49 dias, para depois irem embora. No 49º dia. Definitivamente.
Ela suspirou e olhou para baixo, tentando esconder a mágoa presente no seu olhar.
- Porque me contas esta história agora?
- Porque hoje é o 49º dia desde que tu voltaste e interlaças-te o teu mindinho no meu.



11 Cubos de gelo
Comenta



I'm so pleased I never gave up on him
You wouldn't believe some of the things that he did
It didn't matter if he let me down,I didn't care about the lies.
All I knew was that he loved me very much.



22 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009
Agora já nada há a fazer. Fui arrastada de novo para o labirinto que é o teu mundo e nem estou certa de que quero sair. Envolta nas palavras, essas que criam o fatal compasso de notas, deixo-me ficar. Entranhada em ti, nos teus hábitos e manias, no teu jeito estranho, deixo-me ficar. As paredes começam a encolher, os espinhos nelas propositadamente colocados estão prontos a dilacerar a pele dos que ali continuarem. E eu deixo-me ficar. Observo-te a aproximares-te levemente, com o teu discreto sorriso que deixa sempre na dúvida o destinatário. Olho-te, porém não produzo qualquer tipo de som ou movimento.

- É sufocante, minha querida, o ar que aqui se respira. Morreremos dentro de pouco segundos, aniquilados pelas consequências dos nossos actos, sejam eles quais forem.
- Já que seremos punidos depois, aproveitemos bem estes escassos momentos. 
- Shall we dance?



6 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 23 de dezembro de 2009
Primeiro: omg *-*   (sim, é um link.)
Segundo: 'tou aborrecida. 'Bora lá fazer um desafio.

"Cada bloguista participante tem de enunciar 5 manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher 5 outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do recrutamento. Cada participante deve reproduzir este regulamento no seu blogue."


- Isto é extremamente engraçado visto, eu para sair da cama costumo rebolar até à ponta, até cair para o chão. Depois levanto-me como se nada fosse.
- Os comuns mortais têm um livro em cima da mesa de cabeceira, eu tenho cinco. E sim, leio um bocadinho de todos todas as noites antes de ir dormir. Agora imaginem como é no tempo de aulas, que já nao vou para a cama propriamente a horas decentes e depois ainda me meto a ler isto tudo. Enfim.
- Estou sempre a tremer a perna ou a brincar com os dedos.
- Eu fecho-me no guarda vestidos. (aposto que vocês não fazem isto!)
- Escrevo com uma e uma só caneta. Quando perdi a minha caneta, fiz uma birra tremenda e só voltei a escrever quando me compraram outra igual. Foi um acto mimado, eu sei, MAS A MINHA CANETA É A ÚNICA BOAAAAA.

Isto é para passar a cinco pessoas, mas anda tudo a fazer batota e eu não vou ser excepção. Levem-no à vontade.

13 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 22 de dezembro de 2009
Há certas perguntas que adoraria colocar, mas não o faço por medo. Queria-te perguntar se alguma vez gostaste mais de alguém do que me mim, se já houve algum ser algures do mundo mais capaz de derreter esse gelo que guardas dentro do teu peito do que eu. Mas não quero que digas que sim. Já viste o quanto hipócritas conseguimos ser amor? Exigimos a verdade, pedimo-la desesperada e desmedidamente, e depois não somos capazes de lidar com ela. Até a conhecemos, até nos assola quando vamos dormir, até faz a nossa cabeça latejar mais do que achávamos possível. Mas como conhecer não significa aceitar, nós conhecemos e não aceitamos. Estás a ouvir esta minha filosofia barata?
Não deixes que resulte connosco.




16 Cubos de gelo
Comenta



Pois bem, decidi que o blog precisava de umas alteraçõezinhas. Mas como isto é vosso, quero saber a vossa opinião. Agradecia que respondessem às sondagens ao lado, com a vossa habtual sinceridade. pode ser que isto fique um bocadinho melhor :o
Beijinhos!
(Estes posts não são nada eu. Mas pronto, prometo que nao volta a acontecer, tinha só de pedir desesperadamente a vossa ajuda)

6 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 21 de dezembro de 2009
You are my one true love
You are the voice that is so sweet
In everything I do, you bring the best out of me
You are my wings to fly
You are the wind beneath them
I miss you every night, when I close my eyes
You put your feelings down

You stopped your tears you brought me love
You held to my heart
You held with hope to have me near
Sometimes I close my eyes
Sometimes I let my hunger rise
I think of all you are, you are the love of my life

You reached me in my need
Your rhythm flows under my skin
I need you desperately,
A sweet healing that will begin
You are my one true love
You are the voice that is so sweet
In everything I do, you bring the best out of me
My everything is you
The very motions that I move
And everything with richness
The richness of the peace you bring
Always, always you are with me
You are the love of my life.
Falling Up - Falling in Love
É lame, eu sei.Mas eu também sou lame. 



8 Cubos de gelo
Comenta



"Se desta vida imperfeita eliminássemos tudo o que é inútil, a imperfeição deixaria ela própria de fazer sentido."
Haruki Murakami
in Sputnik, meu amor


Oh the weather outside is frightful,
But the fire is so delightful,
And since we've no place to go,
Let it snow, let it snow, let it snow.

19 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 20 de dezembro de 2009
Ela mantinha-se inexpressiva, com um nó permanente no coração, vertendo lágrimas que nem sabia bem de onde saíam. Não seria decerto dos olhos, que há muito haviam cegado de sempre vislumbrar tão cruel mundo. Não provinham tão pouco do coração, que já ela não se lembrava da última vez que tinha sentido tal coisa a bater dentro de si. Eram lágrimas sem sentido, sem origem, sem motivo. Mas mesmo assim encharchavam todo o seu mundo..
- Estás bem?
- Não.
- Vais ficar bem?
- Vais deixar de respirar daqui a 5 segundos?
- O quê?
- Há perguntas que não têm resposta imediata.



16 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 19 de dezembro de 2009
A respiração pára,o coração dilacera as paredes do peito, o ar torna-se tão palpável que seria possivel divido-lo em várias partes com um qualquer instrumento cortante. O nervosismo apodera-se de todo o corpo e o habitual controlo passa a desmedido desespero.
- ele chegou.

-Desculpa a ausência.
- Eu sabia que vinhas. Esperei aqui. tu chegas sempre atrasado, mas nunca deixas de aparecer.
- Amo-te.
- Eu sei.

16 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 17 de dezembro de 2009
-Peter, it is perfectly lovely the way you talk about girls. I would like to give you...a...kiss. Don't you know what a kiss is?
-I shall know when you give me one.
-I suppose I can give you one now...
-If you like.
-Thank you.
Peter Pan, J. M. Barrie.


28 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 15 de dezembro de 2009
E hoje o blog chega aos 100 posts e, curiosamente, com 111 seguidores. Deveria postar um texto bonito para celebrar a data, mas há coisas mais importantes a dizer.
Tive muitas dúvidas ao decidir criar este blog, com medo de quais seriam as reacções. Mas desde o primeiro momento tive um incrivel feeback positivo de todos os que visitavam este (pequeno) cantinho.
Quero agradecer a todos vocês que incondicionalmente estiveram aqui para me apoiar. A todos os que todos os dias aturam os meus desvaneios e mesmo assim são capazes de dar uma palavra amiga de cada vez. A todos os que têm sempre algo sábio a dizer. A todos os que me fizeram pensar e repensar. A todos os que, com simples palavras me dão vontade de fazer mais e melhor. A todos os que me fizeram sonhar, e a todos que me colocaram um sorriso nos lábios ao dizer que eu os fiz sonhar. A todos os que me provocaram gargalhadas, choros momentâneos e sorrisos leves. A tudo o que me fizeram sentir: alegria, tristeza, melancolia... A tudo o que são, a tudo o que me fazem ser. Já me fizeram crescer um bocadinho.
Obrigada.



9 Cubos de gelo
Comenta


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009
What am I to you?
Because to me, you're pretty much it.



18 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 13 de dezembro de 2009
Sonha comigo. Sonha comigo a preto e branco, que eu não tenho como costume sonhar a cores. As matizes podes tu imaginá-las, disparatadas como as palavras que me sussuras. Os sons, os gestos, os cheiros, inventa-os, que eu não tenho criatividade para isso. Sonha comigo de olhos abertos, torna tudo mais real.  Sonha com os contornos do meu rosto, a textura do meu cabelo. Sonha com os meus passos, de preferência com os que são dados na tua direcção. Sonha com as minhas gargalhas. As sonoras e as do coração.
Sonha comigo. Sonhas...?



14 Cubos de gelo
Comenta



- As directas ao telefone com as pessoas mais improváveis
- O dia que começava às oito da noite e acabava às oito da manhã
- Os pesos roxos na sala de estar
- Os óculos de sol azuis exageradamente grandes
- O dia do turbilhão de emoções, que passámos de happilly living para happily screwed
- As corridas na piscina, com os gémeos às costas
- As festas da praia
- A Lycra cor-de-rosa
- O cheiro do protector solar que nunca usava
- A (triste) ideia das flores
- Os waffles com duzentas variedades de gelado em cima
- As imensas fatias de salame
- O grande curso de desenhoo!
- Lily Allen, muita Lilly Allen.
- Os Magnums de amêndoa
- O Saw V
- As tardes a queixarmo-nos deles
- Os sorrisos
- As muitas, muitas lágrimas
- As dores nos pés e nos músculos, e a felicidade que dançar me trazia
- Os sorrisos que me arrancavam enquanto me faziam girar sobre mim mesma
Bolas, tenho saudades do Verão.



15 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 12 de dezembro de 2009
Memories are what warm you up from the inside. But they're also what tear you apart.




31 Cubos de gelo
Comenta


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009
- O que queres ser quando fores grande, Nocas? Advogada ou médica?

- Feliz.
- Óh querida, mas para além disso.
- Não quero nada para além disso, quero ser feliz.
- Mas sabes que a felicidade não compra nada… precisas de um emprego.

- Compra sim. Rouba almas, compra sorrisos e cria brilhos nos olhos. Era tão feliz só com isso.
- E achas que vais arranjar marido se não tiveres emprego ou se as tuas ambições forem simplesmente a felicidade?
- Só quero um se me fizer um bocadinho mais feliz do que eu quero ser. E se assim for, também só quererá ser feliz, como eu.
- E quando tiveres filhos, como vais cuidar deles?
- Vou ensiná-los a serem felizes também. Nunca aprenderão nada melhor do que isso.
- Tu e todos esses sonhos…Nunca vais deixar de ser assim, pois não?
- Não…só sou feliz deste jeito.



14 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 10 de dezembro de 2009
"Pain. You just have to ride it out. You can only hope it goes away on its own, hope the wound that caused it heals. There are no solutions, no easy answers, you just breath deep and wait for it to subside."
Grey's anatomy, estou a aprender a gostar.



21 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 9 de dezembro de 2009
Desejei ter tanta força hoje. Desejei assemelhar-me aos homens fortes, lutadores de ringue, pelos quais nunca tive nenhum apreço em especial. Desejei puder remeter toda a força existente no universo para um elixir que beberia de seguida, para ficar eu então detentora de tais capacidades físicas. Para que tivesse força suficiente para te agarrar num braço e impedir-te de me virares costas daquela maneira. Para te obrigar a compreender o que eu se estivesse na tua posição também não seria capaz de assimilar.
É injusto tudo o que temos de passar para depois pudermos viver um tempo curto de felicidade. É injusto que te inflija tanto mal e vice-versa.
"it's complicated it always is, is just the way it goes."  Mas vamos sempre conseguir desembaraçar os nós criados sem intenção, não vamos amor?

Vamos pois.

17 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 8 de dezembro de 2009
Ele acaricia-lhe levemente a face e aproxima os seus lábios dos dela. Toca-lhe ao de leve e pára subitamente por segundos, estranhando o doce som dos risos infantis que ela produz, timidamente.
-O que foi? – Pergunta, intrigado por aquela estranha melodia repentina que pouco ou nada caracterizava o momento que cumplicidade que estavam a viver.
Ela, ainda a não conseguir conter completamente o sorriso e as gargalhadas pouco sonoras mas muito sentidas:
- Tu gostas de miim – Diz, fazendo troça de tal facto.
Tinha-se apercebido de que tal era mesmo verdade pelos olhos dele, que estavam mais verdes do que alguma vez estiveram e que pela primeira vez sorriam directamente para ela.
Ele esboçou aquele leve sorriso de que ela tanto gostava, que parecia uma espécie de assopro ao seu ouvido, e respondeu, baixinho, ainda com um sorriso nos lábios:
- Pois gosto.



6 Cubos de gelo
Comenta



When you're dreaming with a broken heart
The waking up is the hardest part
You roll outta bed and down on your knees
And for a moment you can hardly breathe

Wondering was she really here?
Is she standing in my room?
No she's not, 'cause she's gone, gone, gone, gone, gone....

When you're dreaming with a broken heart
The giving up is the hardest part
She takes you in with her crying eyes

Then all at once you have to say goodbye
Wondering could you stay my love?
Will you wake up by my side?
No she can't, 'cause she's gone, gone, gone, gone, gone....
John Mayer - Dreaming with a broken heart.



19 Cubos de gelo
Comenta


domingo, 6 de dezembro de 2009
Queres saber exactamente o quanto é que eu gosto de ti? A quanto equivale o 'mais' que sucede sempre o 'amo-te'? Então multiplica os sorrisos e as vezes que entrelaçámos as mãos. Soma-lhes as palavras murmuradas, todos os beijos e abraços. Acrescenta ainda os batimentos cardíacos acelerados, o nó na garganta de quando tinha de te dirigir a palavra e os olhares tímidos porém expressivos. Mas divide esse valor por todas as vezes que me fizeste mal, em que bocadinhos do meu amor se foram perdendo por entre acções e palavras tuas.

Depois pousa o lápis, larga o papel e vem mas é abraçar-me.
O teu esforço é completamente em vão.
No dia em que te definir por um número, é porque deixei de gostar de ti.

Inspiração precisa-se.


21 Cubos de gelo
Comenta


sábado, 5 de dezembro de 2009
Nisto que consiste a monstruosidade do amor: em ser infinita a vontade e limitada a execução; em serem ilimitados os desejos, e o acto, escravo do limite".

William Shakespeare.

17 Cubos de gelo
Comenta


quinta-feira, 3 de dezembro de 2009
Estava envolta num mar de sorrisos pintados, passos mal dados por gosto ao engano e gritos produzidos em êxtase de alegria. Agora encontro-me nas ruínas das nossas brincadeiras. Avalio o estrago, e lá esboço um sorriso leve de vez em quando ao descobrir que nem tudo foi levado pela tempestade. Pequenos fragmentos permanecem, peças soltas de um puzzle que teima em não se completar. Vou saltitando por estas ruas que antes tinham um sabor especial e matizes bem mais vivas. Vou saltando para contrabalançar a mágoa que elas transmitem agora. Eu bem digo que não, mas sabes, ainda tenho medo de monstros. Daqueles que me assolam quando tu desapareces. Têm medo de ti, porque me proteges de tudo (menos de ti mesmo, mas isso é outra história) Só aparecem quando vais embora. Monstros daqueles que não se parecem com et's nem animais feios, não são verdes nem grandes, não têm uma voz assustadora nem olhos aterrorizadores. 
Daqueles que são impossiveis de vislumbrar mas levam parte de mim em cada investida. Dos quais me escondo debaixo da cama, mas que me encontram sempre e causam alergia nos olhos e aperto no peito...
Fica aqui e não os deixes voltar.
Fica aqui, para eu ficar uma menina crescida e deixar de ter medo do escuro. Para que não haja escuro sequer.




33 Cubos de gelo
Comenta


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009
Quero começar por pedir desculpa se houver por aí pessoas realmente interessadas em ler os desvaneios da minha pessoa. A preguiça alastrou-se aos meus interesses. Bah. Prometo que isto passa.
Por isso decidi responder ao desafio que encontrei no blog da Marz. Acho que o nome fala por si mesmo.
Bem, vamos lá:
1- Gosto de comer limões como quem come doces. (até aqui tudo bem.)
2- Não gosto do meu cabelo encaracolado, mas também não gosto dele liso (draminhas adolescentes ._. também tenho direito a ser um bocadinho normal!)
3- Tenho de ter sempre o som da televisão em volumes acabados em 0 ou 5.
4- Morro de medo de palhaços. Odeio. Bah.
5- Sou melodramática e ODEIO ISSO.
6- Quero que toda a gente use pijama na rua. Seria tão mais feliz.
7- Quero banir a palavra Whatever do mundo e a expressão NOC da minha turma.
9- A sério, não suporto mesmo. (Repararam na minha tentativa falhada de passar números à frente só porque acho que vou ficar facilmente sem saber o que dizer?)
10- Dizem que nunca se esquece como andar de bicicleta - eu esqueci.
11- Sou sonâmbula e morro de medo de que algum dia saia de casa e seja raptada/morra atropelada etc.
12- Não gosto que me acordem. (Por favor, não me acordem. Nem que o fim do mundo esteja a chegar. I really don't care, quero é que me deixem dormir. )
13- Quando faço directas tendo a ficar super simpática.
14- O Facebook diz que eu sou bipolar. Eu acredito.
15- Quando andava na primária era um génio informático (não, não foi na minha vida passada. nesta mesmo)
16- Quero jogar jogos online e não sei nenhuns de jeito (é nesta parte que vocês entram)
17- Não gosto de Coca-cola (isto é, no mínimo, chocante)
18- Sou óptima a argumentar, mesmo sem argumentos.
19- Quase ninguém sabe isto, mas quando sorrio docemente para alguém é apenas porque os estou a imaginar a morrer com uma morte qualquer tipo desenho animado. (acreditem, é puro entretenimento)
20- O meu sonho no sexto ano era cortar uma língua humana, com uma tesoura.
21- Não gosto da palavra gerúndio ou de luzes de natal. (brilhaam :( )



8 Cubos de gelo
Comenta


terça-feira, 1 de dezembro de 2009
Backbeat, the word was on the street
That the fire in your heart is out
I'm sure you've heard it all before
But you never really had a doubt
I don't believe that anybody
Feels the way I do about you now

And all the roads we have to walk are winding
And all the lights that lead us there are blinding
There are many things that I would like to say to you
But I don't know how

Because maybe
You're gonna be the one that saves me
And after all
You're my wonderwall

Advérbios de modo não combinam com amor, mas eu gosto extremamente de ti.